Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Para Pastores e Lideres)

 

Deus só confirma a Sua Palavra, não dogmas denominacionais nem tradições religiosas. Logo põe-se aqui a questão: Que devemos pregar e anunciar desde os nossos púlpitos? A PALAVRA DE DEUS, em todo o tempo, face a qualquer circunstância, sempre a Palavra de Deus. Queres ter salvações? Prega a Palavra. Milagres? Prega a Palavra. Crescimento? Prega a Palavra (Jr.1.12) “Então me disse o Senhor: ...eu velo sobre a minha palavra para a cumprir.” - “velo” estar atento, de sentinela.

 

(Mc.16.20) “Eles, pois, saindo, pregaram por toda parte, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que os acompanhavam.” - (Rm.10.13-17) “Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como pois invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram falar? e como ouvirão, se não há quem pregue?”

 

Prega e prega e prega, ensina, ensina e ensina a Palavra de Deus, o Evangelho, as boas noticias. Foi isto que Jesus mandou pregar, foi isto que os apóstolos pregaram, foi isto que Filipe pregou em Samaria e as multidões atendiam pelo que ouviam e pelos sinais que se operavam, como confirmação do Evangelho.

 

Não podes usar o púlpito para “bater” nas pessoas, ou entretê-las com doces palavras. Elas foram ter contigo para ouvir a Palavra de Deus e ter um “toque “ de Jesus. Não critiques outros ministros de Deus, nem outros ministérios, o povo não foi á igreja para ouvir isso, dá-lhes a Palavra de Deus para que creiam e cresçam espiritualmente, (Col.1.10) “...frutificando em toda boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus” O conhecimento vem pela exposição da Palavra de Deus, é a forma da pessoa saber quem Deus é e aumentar a sua fé Nele. (Fp.3.8) “...tenho também como perda todas as coisas pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus...” Esta era a busca de Paulo, que levava ele a cada dia deixar tudo para traz, considerar as demais coisas como inúteis diante do conhecimento de Cristo. O que nos mostra claramente qual era a prioridade no ministério e vida do apóstolo Paulo. (Col.3.10) “...e vos vestistes do novo, que se renova para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou...” Esta é a inclinação do espirito humano nascido de novo, crescer no conhecimento de Cristo, (ITm.2.4) “...que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.” Esta é a vontade de Deus, não só a salvação, mas o conhecimento pleno da verdade, que é a Palavra de Deus.(Flm.1.6) “...fé se torne eficaz, no pleno conhecimento de todo o bem...” A nossa fé torna-se eficaz, pelo conhecimento, a fé nunca ultrapassa o conhecimento que temos acerca de Deus, na verdade ela nasce, por este conhecimento. (IIPe.1.2) “Graça e paz vos sejam multiplicadas no pleno conhecimento de Deus e de Jesus nosso Senhor” Caso para dizer, se queres mais paz e mais graça, trata de crescer no conhecimento de Jesus. (IIPe.1.3) “nos tem dado tudo ..., pelo pleno conhecimento daquele que nos chamou...” Pelo conhecimento de Deus, tornamo-nos participantes de tudo aquilo que Jesus comprou para nós na expiação,(IIPe.1.8) “se em vós houver e abundarem estas coisas, elas não vos deixarão ociosos nem infrutíferos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo.” Pedro estava a falar em algumas virtudes, como a fé, a paciência, o amor, virtudes essas que têm como objectivo levar-nos a um conhecimento mais profundo de Deus e de Jesus nosso Senhor. Assim que , cresce no conhecimento, estuda, medita, procura e vais encontrar. Mas sempre com este intuito: por em prática o teu conhecimento e ensinar a outros aquilo que sabes acerca de Deus, pois está escrito: (IITm.2.2) “e o que de mim ouviste ... transmite-o a homens fiéis, que sejam idóneos para também ensinarem os outros.”

 

Usa o púlpito para abençoar, e prega o Evangelho que no seu significado mais fiel quer dizer: Boas notícias”. E é o Evangelho que as pessoas precisam. Não uses o púlpito para apelar a que se conformem á sua desgraça. As pessoas não se deslocaram á tua igreja para ouvir, os teus complexos, as tuas frustrações, nem os teus problemas pessoais, nem o que tu pensas dos políticos, nem acerca do teu descontentamento a respeito do pastor da igreja de baixo. Eles vieram e trouxeram os seus amigos para ouvirem o Evangelho, para receberem um “toque e Jesus” e para que tu os animes nas suas tribulações, a igreja é o lugar onde eles podem encontrar ânimo e encorajamento, porque na igreja prega-se o Evangelho – as boas noticias. (IICor.1.2,3) “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda a consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, pela consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus”. Esta é a nossa responsabilidade, e ainda: (Lc.4.18) “O Espírito do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos” Igualmente nós fomos ungidos para anunciar boas noticias aos pobres. O que são as boas novas aos pobres? “ pobre não precisas viver mais na pobreza, chegou o fim do teu cativeiro, Jesus na cruz consumou uma redenção completa, Ele se fez pobre para que tu enriqueças...”, O que são as boas novas aos doentes? “ ...não precisas sofrer doença, Jesus na cruz realizou uma expiação perfeita e pelas suas feridas fomos sarados, para que se cumpra o que está escrito podes receber a tua cura...”.

 

Um outro tema interessante é não querer repetir as mensagens. Certo pastor dizia:”... Em dez anos de ministério pastoral, nunca repeti uma única mensagem, tenho sempre alimento fresco...” bem, o que determina “alimento fresco” não é o facto de uma mensagem ser nova, mas a condição do coração do portador dessa mensagem. Que pena não repetir as mensagens, ele pregava a palavra de Deus, eu mesmo o ouvi muitas vezes e a palavra é tão viva no primeiro dia como na repetição, porque é a Palavra de Deus, sempre viva, como o seu autor, sempre eficaz e proveitosa para os que a ouvem e vivem de acordo com ela.

 

Ontem comi pão, hoje volto a comer pão, não vou dizer: “ não como mais pão porque já comi ontem...”. (2Pe.1.12,13) “Pelo que estarei sempre pronto para vos lembrar estas coisas, ainda que as saibais, e estejais confirmados na verdade...”. E ainda:(Fp.3.1) “...Não me é penoso a mim escrever-vos as mesmas coisas, e a vós vos dá segurança.” E ainda: ( IICor.1.13) “Pois outra coisa não vos escrevemos, senão as que ledes, ou mesmo reconheceis...”. Nem Pedro, nem Paulo tinham problemas em voltar a ensinar, repetidamente as mesmas verdades do Evangelho.

 

Qual é a mensagem melhor? Aquela que o povo está a precisar de ouvir. Pelo aconselhamento pastoral, pelas conversas das pessoas na igreja, pelas perguntas que fazem, sabemos qual a mensagem que melhor encaixa na necessidade do momento.