Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativa
 

(Hb.10,38) “ Mas o meu justo viverá da fé; e se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele”. É suposto que os justos (inocentes) vivam pela fé. Quer dizer então que fé é um estilo de vida, ou uma maneira de viver, uma forma de estar na vida. De acordo com as palavras do Senhor Jesus, estás no mundo mas já não pertences á forma do mundo viver, logo Deus tem para tí uma maneira de viver diferente daquela, que o mundo leva.

O que é então a fé, de acordo com a qual deves viver? (Hb.11.1) “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem”. Fé está relacionada com COISAS que não se vêm, a palavra “coisas” refere-se a factos reais específicos, mas que aínda não se vêm. Viver então pela fé, é viver baseado em factos reais que não se vêm. Por outras palavras, é viver não pelo que tu vês, nem pelo que tu sentes, as circunstancias contrárias á tua volta, mas viver, guiar a tua vida pelo que tu crês.

 

(Hb.11.3) “ ... o visível não foi feito daquilo que se vê”. Há COISAS que não se vêm, mas que existem, são reais e que têm o poder de criar, de dar matéria áquilo que esperas e de transformar circunstancias. (IJo.5.4) “porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé”. Está a falar para ti, os nascidos de Deus, vais vencer o mundo. Porquê? Porque o estilo de vida que está preparado para os justos, os nascidos de Deus, para ti, é um estilo de vida planeado para te conduzir á vitória. Que estilo de vida é esse? : “...a nossa fé”. Então concluímos que: O estilo de vida que vence o mundo, é viver não pelo que vês, nem pelo que sentes, nem pelas circunstancias. O estilo de vida que vence o mundo é viver baseado naquilo que crês. (IICor.5.7) “porque andamos por fé, e não por vista” e ainda (IICor.4.18) “não atentando nós nas coisas que se vêem, mas sim nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, enquanto as que se não vêem são eternas”.

Por vezes ouvimos sobre fé, e ficamos com a ideia que a fé é instantânea e se não for de resultados instantâneos, então concluímos que não temos fé. Este tem sido o problema de muito cristão e ministro de Deus, que desistem dos seus sonhos a meio do caminho. O que faltou não foi fé, mas a paciência – perseverança.

 

Fé é uma “força” que não se rende diante do fracasso, a fé nunca desiste, isto quer dizer que viver pela fé, não é viver dependente de resultados instantâneos, mas é viver confiando em Deus, diante do fracasso aparente, e seguir enfrentando as circunstancias e vivendo confiante, como se já tivesse o que Deus lhe prometeu. È este estilo de vida que vence o mundo. (I Jo.5.4) “porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé”. Lá porque alguma vez tenhas falhado á primeira, não quer dizer que Deus não está no assunto, ou que tu não tens fé, são apenas circunstancias contrárias. Tenta de novo! “ ...e se falhar?...” já aprendeste duas formas de não conseguir, agora tenta mais uma e outra vêz, as que forem necessárias até que vejas os resultados desejados.

 

Vamos ver alguns exemplos da Bíblia de homens como tu e eu. (Tg.5.17,18) “Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós, e orou com fervor para que não chovesse, e por três anos e seis meses não choveu sobre a terra. E orou outra vez e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto”. Tiago fala de Elias como um homem normal, igual a todos nós, mas que era um homem de oração e fé. O escritor aos hebreus quando descreve os heróis da fé, também faz alusão a Elias quando diz, “...E que mais direi? Pois me faltará o tempo, se eu contar ...dos profetas...por meio da fé venceram reinos, praticaram a justiça... escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram forças...”. Vamos ver agora como este famoso acontecimento ocorreu.

 

(IRs.17.1) “ Então Elias, o tesbita, que habitava em Gileade, disse a Acabe: Vive o Senhor, Deus de Israel, em cuja presença estou, que nestes anos não haverá orvalho nem chuva, senão segundo a minha palavra”. Sabemos que durante três anos e meio não houve chuva nem orvalho na terra”. Até que o povo se arrependeu da sua idolatria. Assim que isto aconteceu, Elias voltou a orar, (I Rs.18.41-45) “Então disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, porque há ruído de abundante chuva. Acabe, pois, subiu para comer e beber; mas Elias subiu ao cume do Carmelo e, inclinando-se por terra, meteu o rosto entre os joelhos. E disse ao seu moço: Sobe agora, e olha para a banda do mar. E ele subiu, olhou, e disse: Não há nada...” Parece que não estava a funcionar desta vez. Elias disse que iria chover, orou e “...Não há nada...” Mas a fé não se rende ao fracasso, mantém a confiança, “... Então disse Elias: Volta lá sete vezes...” vai, até dar, até funcionar, até haver, até veres os resultados desejados. “...Sucedeu que, à sétima vez, disse: Eis que se levanta do mar uma nuvem, do tamanho da mão dum homem: Então disse Elias: Sobe, e dize a Acabe: Aparelha o teu carro, e desce, para que a chuva não te impeça. E sucedeu que em pouco tempo o céu se enegreceu de nuvens e vento, e caiu uma grande chuva”.

 

Vamos ver a experiência de Jeremias e como Deus tratou com ele.

(Jr.36.1) “...da parte do Senhor veio esta palavra a Jeremias...Toma o rolo dum livro, e escreve nele todas as palavras que te hei falado contra Israel...”. (Jr.36.21) “...Então enviou o rei a Jeúdi para trazer o rolo... e o leu aos ouvidos do rei e aos ouvidos de todos os príncipes que estavam em torno do rei... E havendo Jeúdi lido três ou quatro colunas, o rei as cortou com o canivete do escrivão, e as lançou no fogo que havia no braseiro...” E agora? Jeremias estava a obedecer á ordem Divina, mas o seu ministério não foi reconhecido nem aceite, porque Jeremias dizia coisas que não eram agradáveis de ouvir. Face a esta resistência, que qualquer um pensaria em “atirar a toalha”, olha as instruções de Deus: (Jr.36.27,28) “ ... Depois que o rei queimara o rolo ...veio a Jeremias a palavra do Senhor, dizendo: Toma outro rolo, e escreve nele todas aquelas palavras que estavam no primeiro rolo...”. Deus disse para ele escrever outra vez, “ e se o rei queimar este livro?...” Escreve outro.

 

O que quero deixar aqui claro é que a fé não desiste, Deus não desiste e tu não vais desistir só porque encontraste resistência ou porque as circunstancias não te são favoráveis, Ainda bem, mau seria se não houvesse resistência ao teu ministério. Tu vives pela fé e não pelas circunstancias, com os olhos postos em Jesus segues adiante. Deus prometeu “...estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei, e o honrarei”. Deus nunca chega atrasado, antes do “cair do pano”, Deus entrará em cena a teu favor.

 

Certa vez numa terra da índia, um homem foi levado a tribunal acusado de um crime que não cometera. Acusado por testemunhas falsas e com policia a querer mostrar serviço, este homem a ser condenado, iria sofrer pena de morte. Afirmando até ao final a sua inocência, o juiz propôs-lhe um acordo:

 

- tenho aqui dois papeis, num vou escrever a palavra inocente, no outro vou escrever a palavra culpado, vou pô-los dentro de um saco e tu escolhes um, o veredicto será o que tu escolheres .

O astuto juiz querendo condenar este homem, escreveu em ambos os papeis a palavra condenado, meteu-os no saco e deram ao homem para escolher. Percebendo a armadilha, entre dentes este homem pede ajuda a Deus, que logo entra em cena a seu favor. De repente, ele tira um papel do saco e come-o, o juiz indignado pergunta:

- Que fazes, e agora como vamos saber o veredicto que escolheste?

O homem resoluto responde:

- É fácil, é só ver o que ficou e sabem que, o que eu escolhi é o oposto. 

Assim, foi posto em liberdade, quando tudo indicava que seria condenado.

Portanto, não desistas, não te dobres diante das circunstancias contrárias continua firme estás no caminho certo e esse “mar vermelho” vai abrir-se.