Igreja Zoë uma palavra de Deus pode mudar a sua vida. Aguardamos a sua visita

Cri por isso falei

“CRÍ, POR ISSO FALEI”, é mais que um livro é um estilo de vida que consiste em viver pela fé, não vivo pelo que sinto nem pelo que vejo mas pelo que creio. Não confesso o que sinto nem o que vejo confesso a Palavra de Deus. As nossas palavras podem trabalhar a nosso favor ou contra nós e o mais revelador é que nós escolhemos o que falamos.
Deus dá tamanha importância a este assunto que constituiu Jesus como “ O Sumo Sacerdote da nossa confissão”, Jesus está no ministério de levar diante do Pai a nossa confissão. Saiba como Ele o faz, qual a confissão que apresenta ao Pai e qual o tipo de confissão que Ele se recusa levar ao Pai?
Neste livro o pastor Augusto Sousa partilha algumas das suas experiências em 33 anos de ministério nesta área. Os anos que levaram para ele aprender este assunto estão aqui disponíveis para você correr mais depressa e chegar mais longe. Seja um praticante da Palavra controle a sua confissão e a sua vida nunca mais será a mesma além de ver a poderosa Palavra de Deus a funcionar diante dos seus olhos.

Viver pela Fé

Viver pela fé não é viver por aquilo que sente ou vê. Viver pela fé é viver seguro e convicto das coisas que não sente nem vê, mas que crê. É esta maneira de viver e de encarar a vida que lhe dará a vitória sobre o mundo. O “mundo” fala de recessão e problemas, pois falam do que vêm e do que sentem pelas circunstâncias. Mas nós, os justos, os “crentes” podemos vencer a recessão e qualquer circunstância, porque o justo viverá da fé, e a fé é a vitória que vence o mundo. Porque não andamos por aquilo que vemos, nem por aquilo que as noticias dizem, nem por aquilo que sentimos. Andamos por aquilo que cremos, e cremos na palavra de Deus, nas promessas de Deus. Deus jamais deixará de cumprir a sua palavra.
Hebreus 11, a Bíblia fala-nos daqueles que agradaram a Deus antes da lei e durante a lei, eles agradaram a Deus não por cumprir a lei mas por viverem pela fé.

Como é o estilo de vida pela fé? É viver convicto das coisas que não se veem, é esperar pelas coisas que ainda não vê. Duas coisas diferentes uma esperar pelas coisas que ainda não vê e outra viver convicto na garantia das coisas que não se veem. "Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente" (Hb.11.3) Note que a Bíblia chama aparente àquilo que se vê. Aparente é a palavra grega "Faino" e significa, "aquilo que vem á luz, que aparece, que se torna evidente, que é exposto à vista". No nosso dicionário aparente é descrito como "aquilo que aparece ou se mostra, que parecer ser o que não é e aquilo que é provável". 
A ciência tem uma posição interessante a respeito disto:

 

" Tudo o que é visível é aparente. A nossa percepção do mundo é em grande parte autoproduzida. Vemos o mundo de acordo com a maneira como o nosso cérebro o organiza.
O que vemos não é a imagem na nossa retina mas uma imagem tridimensional criada no cérebro, com base na informação sobre as características que encontramos mas também com base nas nossas "opiniões" sobre o que estamos a ver.
O que vemos é sempre, em certa medida, uma ilusão. Porque a visão é um processo em que a informação que vem dos nossos olhos converge com a informação que vem das nossas memórias".

Concordará comigo que nem sempre a informação que temos a respeito do que vemos ou sentimos é a mais correta. Nós deduzimos que... face ás aparências..., tendo em conta os sintomas...se uma pessoa sente uma dor e tem historial na família de mortes por cancro, logo deduz que poderá ter a mesma enfermidade. Se assim for confirmado logo deduz que vai morrer. Mas quem lhe diz que a dor que sente é cancro? E quem lhe garante que vai morrer dessa enfermidade? Julgamos as coisas pelas aparências e Jesus advertiu-nos para esse perigo, "Não julgueis segundo a aparência" (Jo.7.24). As nossas deduções baseiam-se no tipo de informação que possuímos e essa mesma informação que possuímos advém das coisas que são aparentes e a fé não está relacionada com aquilo que é aparente. "Porque andamos por fé, e não por vista" (2Cor.5.7). Viver pela fé é viver baseado numa outra informação que não chega até si pelo que vê nem pelo que sente. "Não atentando nós nas coisas que se vêm, mas nas que se não vêm; porque as que se vêm são temporais, e as que se não vêm são eternas" (2Cor.4.18). Dar a sua atenção ao que é aparente é viver em constante incerteza e variação no que acredita e também nas emoções, vive ao sabor das circunstâncias. Viver pela fé é viver baseado nas coisas que não são aparentes, não vive pelo que vê nem pelo que sente mas por acreditar no que Deus diz e este é o estilo de vida que agrada a Deus. Este é o estilo de vida que vence o mundo.

COMPRAR

Justiça negada. Justiça Consumada.

Justiça negada Justiça consumada, inicialmente um titulo algo paradoxal mas que se entende ao ler a descrição dos factos como ocorreram na detenção, julgamento e condenação à morte de Jesus de Nazaré. As leis que foram violadas tanto do direito romano como da lei mosaica seguida a risca pelos judeus da época.
A fé não colide com os factos da história antes são esses factos que dão sustento a quem acredita ou quer acreditar. A história não pode ser colocada em laboratório e repetir o processo. Temos de investigar e interpretar a mesma tendo como ponto de partida os documentos que ela nos deixou, sendo que alguns neste caso concreto são o registo de testemunhos daqueles que presenciaram tais acontecimentos.
Uma coisa é certa se Jesus de Nazaré pretendia popularidade e publicidade dos seus feitos em vida, então Ele agiu precisamente ao contrario do que seria de esperar. Enfrentava os líderes religiosos expondo a sua hipocrisia, não reverenciava o imperador, era amigo de publicanos e andava entre os pecadores, no seu julgamento nada fez para ver-se livre da culpa que lhe era imputada, até na sua ressurreição segundo as Escrituras, apareceu em primeiro lugar a uma mulher em cuja sociedade oficialmente o testemunho de uma mulher não era válido e que ganharam também aqueles que anunciaram o seu Nome e ressurreição? Escarnio, perseguição e a própria morte. Só uma convicção muito forte faria estas pessoas preferirem morrer que mudar o seu testemunho.
Segundo as Escrituras, (a Bíblia), Jesus veio cumprir uma missão “ reconciliar o homem com Deus”, não fundar uma nova religião para juntar ás já existentes da sua época. Esta missão tem dividido os povos até os dias de hoje onde crentes e ateus debatem em oposição as suas ideias. Este livro foi escrito para que o leitor pense pela sua própria cabeça, tire as suas próprias elações e viva com elas.

Creia no Amor

OMO CRE
Falar do amor e não falar da maior expressão de amor em todos os tempos manifesta à humanidade não seria justo, quer acredite ou não a vida de Jesus Cristo e a sua entrega pela salvação da raça humana é sem duvida a maior expressão de amor. O leitor pode não comungar deste pensamento mas não temos como negar e é manifesto que o não podemos negar, Jesus na sua consciência entregou-se como "o bode expiatório" para a redenção e reconciliação do homem com Deus.
Ele mesmo disse " E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" (João 8:32). Qual a verdade que nos liberta? Aquela que conhecemos, mas o simples facto de saber a verdade não nos liberta por si só, precisamos dar crédito à verdade que conhecemos. Se não dermos crédito à verdade ela já não é verdade pelo menos para nós. Todos sabemos que cada maço de tabaco tem esta mensagem clara " FUMAR MATA", quantas pessoas ao lerem esta verdade deixaram de fumar? Poderá eventualmente existir algumas mas serão uma ínfima parte, para a grande maioria esta mensagem não passa de um mero comentário como outro qualquer relativo aos efeitos nefastos do consumo de tabaco no entanto esta verdade não os libertou da dependência e porque razão não o fez? Porque não lhe deram crédito. Para que a verdade seja uma influencia na sua vida deve primeiro tomar conhecimento dela e depois dar-lhe crédito. A mensagem de amor que Jesus nos ensinou atravessou todas as épocas e culturas superou todas as guerras e diferenças culturais ou étnicas é uma mensagem intercultural que vai para além do tempo, o amor revelou-se ser a maior arma e a melhor estratégia que jamais pode ser utilizada sem que cesse as hostilidade e conquiste a coração dos próprios inimigos. Impérios foram quebrados conhecidas e sólidas dinastias recuaram, leis foram alteradas e poderosos exércitos deram-se por vencidos face àquela que para muitos não passa de uma atitude predominante nos mais fracos de espírito, contudo o que parecia ser débil e fraco tem-se revelado ser o elo mais forte que une os mais acérrimos inimigos que transforma o mal em bem a guerra em paz e a contenda em compreensão e união, o amor, como a bíblia diz: " o amor nunca falha", a razão pela qual o amor nunca falha é que o amor não é um sentimento o amor é uma pessoa como diz a bíblia:" Deus é amor". Talvez você que lê este texto não seja muito devoto a Deus ou às coisas relacionadas com Ele, mas certamente já sentiu o amor de si para outros ou de outros para si, talvez até acredite que se houvesse mais amor no coração dos homens haveria mais compreensão e bondade entre os povos, certo? Então no final do dia você acredita mais em Deus do que pensava, "Deus é amor", esse amor que você vê em si ou a falta dele no coração de algumas pessoas é Deus ou a falta d'Ele no coração das mesmas.....


O SEGRÊDO DE JOÃO 
(1João 4:16-19)
" E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. Nisto é perfeito o amor para connosco, para que no dia do juízo tenhamos confiança; porque, qual ele é, somos nós também neste mundo. o amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor. Nós o amamos a ele porque ele nos amou primeiro". João o apostolo de Cristo era o mais novo dos doze e o ultimo a morrer, ele revela um segredo que os restantes onze não mostraram. João é conhecido ainda hoje como o discípulo que Jesus amava e por incrível que pareça só existem cinco referencias a isso em todo o novo testamento:
1-" Ora, um de seus discípulos, aquele a quem Jesus amava, estava reclinado no seio de Jesus".
2-"Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho".
3-" Correu, pois, e foi a Simão Pedro, e ao outro discípulo, a quem Jesus amava".
4-"Então aquele discípulo, a quem Jesus amava, disse a Pedro: É o Senhor".
5-"E Pedro, voltando-se, viu que o seguia aquele discípulo a quem Jesus amava, e que na ceia se recostara também sobre o seu peito". Nós temos esta informação hoje não porque outro dos discípulos o houvesse escrito, mas porque o próprio João disse isto a respeito de si mesmo, o único livro do novo testamento que refere João como o discípulo que Jesus amava é o evangelho que o próprio João escreveu. Sabemos que Jesus amava todos os seus discípulos da mesma forma mas João ao referir-se a si mesmo nestes termos revela que ele sabia e acreditava no amor que Jesus lhe tinha, ele estava consciente desse amor. Este discípulo permaneceu perto de Jesus até á cruz e foi a ele que Jesus lhe confiou a nobre tarefa de cuidar de Maria sua mãe. Que diferença entre Pedro e João, Pedro jurou que ainda que todos O abandonassem ele porem nunca o abandonaria nem que para isso lhe custasse a sua própria vida, ele disse isto numa tentativa de mostrar o seu amor pelo Mestre, mas poucas horas mais tarde negou-O três vezes e fê-lo diante de pessoas que não tinham qualquer poder político ou religioso para o poder prender, uma porteira e dois empregados do templo. Porem João não manifestou publicamente a Jesus o que estaria disposto a fazer para provar o seu amor pelo Mestre, no entanto é ele que O acompanha na sua dor e no momento mais difícil da sua vida como homem. A diferença entre os dois é que Pedro confiava no seu próprio amor por Jesus ainda que sincero enquanto João confiava no amor de Jesus por ele. Não se congratule do seu amor por Jesus mas confie no amor de Jesus por si, o que sustem a sua fé não é o seu amor a Deus mas o amor de Deus por si e esta é a verdade que o libertará de todo o sentimento de inferioridade, todo o sentimento de rejeição, culpa ou condenação. Deus não está zangado consigo e jamais o estará, Deus não está de costas voltadas para si, se você o chamar Ele sairá ao seu encontro apesar dos seus erros e falhas Ele já condenou o seu pecado à dois mil anos atrás no corpo de Jesus Cristo e Deus não condena o mesmo pecado duas vezes. Por isso não se sinta condenado apesar de falhar na tentativa até de fazer o bem porque Jesus já foi condenado em seu lugar. Esta é a mensagem do evangelho a boa nova para todos: Deus não toma em conta os seus pecados porque estes foram condenados no corpo de Jesus Cristo por isso podemos nos chegar a Deus com confiança e em inteira certeza de fé. Esta é a verdade que Jesus mandou proclamar por todo o mundo.

Nova Identidade

Nova identidade revela que existe uma velha identidade, como poderemos nós conhecer a nossa nova identidade se nem conhecemos a velha? Como conhecer o que podemos realizar de melhor se não nos conhecemos a nós mesmos? Quem somos? De onde viemos? Para onde vamos? O que estamos aqui a fazer? Qual a nossa missão nesta Terra? Temos alguma missão a realizar aqui? Qual o significado da vida? O que faz a vida ser assim tão importante? Emquanto não tivermos resposta a estas questões não poderemos dizer que sabemos quem somos. De uma forma geral o ser humano tem um alto défice de auto conhecimento. Conhecemos a evolução das espécies, temos explicação para o surgimento do ser humano na superfície da terra, conhecemos a composição química dos elementos, sabemos como o corpo humano funciona e em parte até sabemos como resolver os seus problemas. Até sabemos como é composto o nosso planeta, o sol e as demais estrelas lá fora. Sabemos o numero aproximado de estrelas na nossa galáxia e a quantidade de galáxias que encerra o universo e já sabemos que este universo em que vivemos é somente um entre outros. Mas não sabemos quem somos, não nos conhecemos a nós mesmos. Por esta razão encontramos tanta dificuldade em lidar com certas emoções e reações que nos acompanham e não temos como nos livrar delas. O problema não são as nossas emoções ou reações nem a qualidade de pensamentos que alimentamos, o problema é o facto de não nos conhecermos nem sabermos quem somos realmente. Dispendemos do nosso esforço e dinheiro em caminhos que só nos levam a lado nenhum e nos deixam frustrados levando-nos à seguinte conclusão: “ eu não nasci para isto...”. Mas tudo será diferente quando buscarmos o conhecimento de quem nós somos e deixarmos de viver em função do que os outros acham que deveríamos ser. Mas para isso acontecer precisamos de primeiro saber quem somos em Cristo e qual é a nossa nova identidade Nele.

Mais artigos...

AVENIDA GOMES PEREIRA 80A - LISBOA - BENFICA

CONTATO: (+351) 21 609 70 91 

HORÁRIO:

SEX:    21:00
DOM:    10:00

 2019