DECLARAÇÃO DE FÉ 

A doutrina da Igreja ZOË é orientada pelas seguintes convicções:

  1. AS ESCRITURAS: A Bíblia é a Palavra de Deus, escrita pelos santos homens de Deus, inspirados pelo Espírito Santo. Cremos na plena e verbal inspiração da Bíblia, do Antigo e do Novo Testamento, que não há erro nem contradição nas Sagradas Escrituras. Cremos que as Escrituras são a autoridade suprema e final em matéria de fé e de prática (2 Timóteo 3.16-17, 2 Pedro 1.19-21 e 1 Tessalonicenses 2.13);
  2. A DIVINDADE: Cremos em um Deus único, o criador e dominador do universo manifesto em três pessoas: Deus o Pai, Deus o Filho e Deus o Espírito Santo. Cada um dos quais possui perfeição e personalidade divinas. Deus Pai é o maior de todos, aquele que enviou a Palavra e o grande arquiteto (João 1.14, 14.28 e 16.28). O Filho é a Palavra feita carne e existe com o Pai desde o início (João 1.1, 1.14 e 1.18). O Espírito Santo procede de ambos, o Pai e o Filho, Ele dá matéria à Palavra e é eterno (João 15.26);
  3. JESUS CRISTO: Ele é desde o princípio um com Deus, Ele é Deus. Despiu-se da sua divindade e foi gerado pelo Espírito Santo, nasceu da virgem Maria. Ele foi verdadeiramente homem, tudo o que fez não o fez na qualidade de Deus, mas de homem cheio do Espírito Santo. Em tudo foi tentado como nós, mas sem pecado (Filipenses 2.5-8, Lucas 1.35, Isaías 7.14 e 1 João 5.20); 
  4. O HOMEM, SUA QUEDA E REDENÇÃO: O homem foi criado à imagem de Deus. Ele pecou e, portanto, incorreu não somente em morte física, mas também em morte espiritual, que é a separação de Deus. Todos os seres humanos nascem com uma natureza pecaminosa e, ao atingir a responsabilidade moral, tornam-se pecadores em pensamento, palavras e ações Génesis 1.26-27, 3.3 e Romanos 5.12-19). Jesus Cristo, o Filho de Deus, manifestou-se para desfazer as obras do diabo, deu a Sua Vida e derramou o Seu Sangue para redimir o Homem e restaurar a sua relação com Deus (Colossenses 1.13-14, Efésios 2.13, 2.16-18 e 1 João 3.8);
  5. NOVO NASCIMENTO: Aqueles que recebem pela fé o Senhor Jesus Cristo, nascem de novo pelo Espírito Santo e, portanto, tornam-se filhos de Deus e herdeiros da salvação (João 1.12, 10.27-28 e 1 João 5.1);
  6. VIDA ETERNA: Segundo as Escrituras, Jesus Cristo morreu pelos nossos pecados, Ele pagou a condenação de toda a humanidade, como um sacrifício representativo, substitutivo, pelo qual todos aqueles que nele creem são justificados pela fé e declarados inocentes diante de Deus Pai. Todos aqueles que obedeceram a Deus em suas vidas, viverão eternamente na sua presença. Aqueles que em sua vida terrena não creram em Deus e viveram vidas contrárias aos seus mandamentos, recusando-se a reconhecer e a aceitar Jesus como o seu substituto, também viverão eternamente, mas fora da presença de Deus e em tormento eterno, conforme as Escrituras (Mateus 25.46, João 6.54, 10.28, Romanos 2.7, 2 Coríntios 5.1, 1 João 5.11, 5.13, 1 Pedro 1.4 e Apocalipse 22.15);
  7. SALVAÇÃO: A salvação só pode ser obtida aqui na Terra e não depois da morte física. Ela não pode ser obtida como resultado de obras de caridade ou qualquer obra humana, nem pelo facto de frequentar a Igreja. A salvação é pela Graça de Deus por meio da fé e ficou disponível pelo sacrifício de Jesus na cruz, na sua ressurreição e depois de ter feito expiação pelos nossos pecados no santuário do céu, diante de Deus Pai. Para recebê-la, o homem deve crer na obra redentora de Cristo e fazer confissão pública de Jesus como seu Senhor e Salvador. Deve perseverar até ao fim da sua vida, mantendo a sua fé em Cristo (Efésios 2.8-9, Atos 4.12, Romanos 10.8-10, Hebreus 9.23-24 e Marcos 13.13);
  8. RESSURREIÇÃO DE CRISTO: Cremos que Deus Pai ressuscitou Jesus dos mortos ao terceiro dia conforme as Escrituras. Ele é o primogénito dos mortos, o primeiro a ressuscitar com corpo incorruptível. Cremos na sua ascensão aos céus, e em sua vida ali para sempre como nosso sumo sacerdote e advogado (Mateus 28.6-7, Lucas 24.39, João 20.21 e Atos 1.9-11);
  9. RESSURREIÇÃO DOS JUSTOS E ARREBATAMENTO DA IGREJA: No iminente retorno pessoal de Jesus Cristo para buscar sua igreja, antes da grande tribulação. Nesse momento, os mortos em Jesus Cristo serão ressuscitados em corpos glorificados, os vivos receberão corpos glorificados sem passar pela morte e serão arrebatados. Cremos também que a tribulação, que começará após o arrebatamento da igreja, culminará com a vinda de Jesus Cristo em poder e grande glória para estabelecer o reino milenar (1Tessalonicenses 4.13-18, 1 Coríntios 15.51-58, Apocalipse 19.11, 20.4 e 20.6);
  10. RESSURREIÇÃO FÍSICA DOS INJUSTOS: Cremos na ressurreição dos injustos, aqueles que se recusaram a reconhecer Jesus como seu substituto e Senhor, para o juízo final e condenação eterna (Atos 24.15 e Apocalipse 20.12-13);
  11. A SEGUNDA VINDA DE JESUS: Assim como Jesus foi para o céu, Ele voltará pela segunda vez com os seus santos, não como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, mas como Rei dos Reis e Senhor dos Senhores para julgar e reinar com os santos. O diabo será amarrado por mil anos e depois será solto para ser definitivamente julgado e condenado com todos que o serviram (Atos 1.11, João 14.1-3 e Apocalipse 19.11-16);
  12. JUÍZO FINAL E RECOMPENSA ETERNA: Aqueles que morreram fisicamente em seus pecados sem aceitar Jesus serão julgados pelas suas obras más e condenados ao lago de fogo e enxofre junto com o diabo e os seus demónios, o anticristo e o falso profeta. Não haverá mais oportunidade de voltarem a ouvir o Evangelho para arrependimento. Este castigo é eterno, assim como a recompensa dos justos na presença de Deus, num êxtase de paz e alegria Hebreus 9.27, Apocalipse 19.20, 20.11-15, 21.1-4, 21.8, 2 Coríntios 5.10 e Mateus 25.31-46);
  13. PERSONALIDADE DE SATANÁS: Cremos que é o deus deste século e o inimigo de Deus e de todo o crente em Jesus Cristo. Ele foi declarado derrotado com a morte de Cristo e sua ressurreição, é o pai da mentira e o tentador. Está destinado ao julgamento da justiça eterna no lago de fogo (Mateus 4.1-3 e 2 Coríntios 4.34);
  14. EXPULSÃO DE DEMÓNIOS: Cremos e praticamos a expulsão de demónios, em Nome de Jesus Cristo (Marcos 16.17, Filipenses 2.10-11, Lucas 10.19 e Tiago 4.7);
  15. CURA DIVINA: É da vontade de Deus curar hoje e sempre todas as pessoas salvas ou não, de todo o género de doenças. Entendemos que pela fé nas Promessas de Deus é possível receber e manter a cura. Entendemos que ninguém pode impor a outrem um grau de fé que essa pessoa ainda não tem e que por isso, não podemos jamais impedir que alguém consulte médicos qualificados e hospitais, nem impedir que tomem os medicamentos receitados. A cura divina manifesta-se por meio da oração da fé, imposição de mãos ou por meio dos dons do Espírito Santo, ela foi provida pelo sacrifício de Jesus e é um direito de todo o cristão nos dias de hoje (Tiago 5.15, Marcos 16.18, Isaías 53.4-5, Mateus 8.17, 1 Pedro 2.24, Salmos 103.3 e 107.20);
  16. BATISMO NAS ÁGUAS: É um mandamento de Jesus para todos os crentes e deve ser feito por imersão total do corpo. Não batizamos bebés visto que o batismo é um ato de fé, que cada pessoa terá de o fazer por convicção pessoal, de livre vontade, o que não pode acontecer com bebés. É um ato externo que identifica o cristão com Cristo na sua morte e ressurreição para uma nova vida em Jesus Cristo (Atos 8.36, 36.39, Mateus 28.19, Romanos 6.4, Colossenses 2.12 e Atos 36.39);
  17. PROSPERIDADE MATERIAL: No Calvário, Jesus foi em tudo o nosso substituto. Ele se fez pobre para que em troca pudéssemos ser prósperos. Cremos e praticamos as leis de prosperidade que consiste em honrar a Deus com os nossos dízimos e ofertas (Malaquias 3.1-12, 2 Coríntios 8.9, Provérbios 3.9-10, Lucas 6.38 e 2 Coríntios 9.6-11);
  18. BATISMO NO ESPÍRITO SANTO E FALAR EM LÍNGUAS: Cremos que todo o verdadeiro cristão pode ser revestido com o poder do alto que consiste do batismo no Espírito Santo com a evidência de falar em línguas. O batismo no Espírito Santo é a promessa do Pai feita através de Jesus a todo o crente. Esta experiência é subsequente à salvação (Mateus 3.11, João 14.16-17, Atos 1.8, 2.4, 2.38-39, 10.44-47 e 19.1-7);
  19. A PESSOA DO ESPÍRITO SANTO E SEUS DONS: O Senhor Espírito Santo foi enviado a Terra no dia de Pentecostes (Atos 2.1) e permanecerá connosco até o arrebatamento da Igreja. É Ele que nos equipa e fortalece com seus dons para fazermos a obra de Deus. Os dons do Espírito Santo são: poder, fé especial, milagres, cura, inspiração, variedade de línguas, profecia, interpretação de línguas, revelação, palavra de sabedoria, palavra de conhecimento e discernimento de espíritos. Os dons são do Espírito Santo e é Ele que concede a cada um a manifestação para o que for útil segundo a sua vontade (João 14:16-17, 15.26, 16.7-14, Atos 2.4, 19.11-12, 10.38, 1 Coríntios 12.1 e 4.11);
  20. DIFERENTES MINISTÉRIOS: Cremos que Jesus deu à igreja diferentes ministérios para o aperfeiçoamento dos santos para a obra do ministério. Apóstolos, Profetas, Evangelistas, Pastores e Mestres. Não consideramos nenhum ministério superior aos outros, mas diferentes uns dos outros. A igreja necessita de todos para um crescimento saudável (Efésios 4.11-16); 
  21. A IGREJA UNIVERSAL DE CRISTO: Cremos que a Igreja Universal de Cristo é o conjunto de todas as pessoas à face da Terra, qualquer que seja a sua cor, etnia, cultura ou nacionalidade que tenham entregue a sua vida a Jesus Cristo, e o sigam de acordo com o padrão bíblico Romanos 1.7, 16.5-16, 1 Coríntios 1.2, Efésios 1.1 e Galátas 1.2);
  22. LIVRE ARBÍTRIO: Cremos que Deus criou cada ser humano com vontade própria. O homem é livre para escolher entre o bem e o mal, entre Deus e satanás, entre a luz e as trevas. Por este motivo, um dia cada ser humano será levado a julgamento de acordo com as suas ações e escolhas que fez. Pelo mesmo motivo, pregamos o Evangelho a toda a criatura, para que todos tenham a oportunidade de escolher o bem, a vida e a salvação (Deuteronômio 30.19 e Isaías 1.19);
  23. A CRIAÇÃO: Cremos no relato da criação do Génesis, que o homem veio a existir por criação direta de Deus e não por evolução (Génesis 1 e 2, João 1.3 e Colossenses 1.16-17);
  24. A SANTA CEIA: Que a ceia do Senhor é a celebração da Sua morte até que Ele venha e sempre deve ser precedida por um solene exame individual (1 Coríntios 11.23-31);
  25. SANTIFICAÇÃO: Cremos que o crente deve viver uma vida apartada dos velhos hábitos pecaminosos do mundo. A santificação não acontece depois de morto, mas em vida. É um trabalho progressivo e se dá em duas fases: 
    1. Santificação instantânea: Ação de Deus no momento do novo nascimento, perdoando os seus pecados ao arrependido.
    2. Santificação progressiva: Trabalho do crente, deixando a prática de ações que sabe que não agradam a Deus ( 1 Coríntios 1.2, Colossenses 3.8, Efésios 4.22-25 e Romanos 6.2-14);
  26. MATRIMÓNIO: Cremos no matrimónio entre um homem e uma mulher de acordo com as Escrituras. Cremos que o matrimónio mais do que pensado para a reprodução do ser humano, é uma instituição de Deus que representa a intimidade e a relação entre o homem e o seu Criador, como também uma figura na família, da relação entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Cremos e protegemos a família como o berço dos valores que influenciam a nossa sociedade.